Como abrir uma Loja de Produtos para Detalhamento Automotivo?

Atualizado: 3 de Set de 2020







Ter o seu próprio negócio, segundo pesquisa do SEBRAE em parceria com o IBQP (Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade), é o terceiro item mais importante na lista de prioridades dos brasileiros. Isso comprova nosso DNA empreendedor e se você está buscando por uma oportunidade de negócio, fique atento, esse post foi feito para você.


O detalhamento automotivo não é uma novidade no Brasil, pelo contrário, a Kers Importadora por exemplo, atua nesse setor desde 1999. No entanto, é um nicho de mercado ignorado por grande parte das pessoas.



Além do hobista, o proprietário de veículo que prefere ele mesmo realizar os cuidados com seu carro ou motocicleta, que estão em número crescente no país, temos o detalhador, profissão ainda não regulamentada, mas que está presente na vida de todo proprietário de carro, moto, embarcações e muito mais.





O setor cresce com tal velocidade, que um grande número de Casas de Tintas têm migrado para o segmento. Seja para se diferenciar, seja para alcançar um novo mercado ou para aproveitar o momento propício, essas empresas têm lucrado e estão expandindo seus negócios.





Antes de iniciar os investimentos, é prudente criar um bom plano de negócios ou pelo menos um CANVAS (ferramenta usada para análise e gestão de negócios). Se preferir busque o auxílio do SEBRAE na sua cidade. Levante informações como:

  • número de habitantes na cidade, região, ou bairro que pretende atender;

  • número de veículos e comportamento dos proprietários;

  • identifique os clientes potenciais; lojas de veículos, Stúdios, lava-rápido, etc;

  • procure uma boa localização, esteja próximo à concessionárias, prestadores de serviços automotivos, etc;

  • selecione fornecedores, procure trabalhar com itens com alto giro de estoque e aos poucos já incrementando o seu mix de produtos.





Qual o melhor modelo de negócio?


As possibilidade são inúmeras, vamos listar algumas das modalidades mais comuns para o segmento:

  • Venda Porta a Porta - é muito comum que os comerciantes não tenham uma loja física, mas que atuem em uma região específica, atendendo em uma rota pré-definida, como os representantes e vendedores externos. O ponto positivo dessa modalidade é o baixo custo de operação, por outro lado, limita o crescimento da empresa.


  • Loja Física - é o modelo mais tradicional, apresenta maior risco, em relação ao anterior, no entanto, costuma gerar melhores resultados e tem maior escalabilidade, ou seja, possibilidade de crescimento. O ponto negativo são os custos fixos, o que exige uma postura comercial mais ativa.


  • E-commerce - historicamente, o Brasil vive em constante instabilidade econômica, mas apesar disso, o setor de e-commerce faturou R$ 75,1 bilhão em 2019, crescimento de 22,7% em relação à 2018. Esse modelo de negócio cresce em ritmo acelerado. Por característica, apresenta um investimento semelhante à primeira modalidade e resultados superiores às loja físicas. É quase que um próximo passo para aqueles empresários que já possuem loja física. Proporciona maior possibilidade de crescimento, uma vez que derruba as barreiras geográficas. Mas não se engane, ter um e-commerce requer o maior nível de dedicação e estudo, ou seja, requer um nível de gestão mais apurado


  • Modelo Híbrido - por último e não menos importante, temos um modelo de negócio que mescla a loja física com a venda porta a porta. Este é o formato com maior percentual de sucesso. A loja física funciona mais como um ponto de retirada de produto, atendimento emergencial ou venda de oportunidade, enquanto a venda porta a porta prospecta e fideliza os novos clientes.

Indiferentemente do modelo de negócio pelo qual optar, existem boas práticas que farão a diferença no seu dia a dia:

  • venda mais que produtos, preste assessoria, demonstre ao seu cliente a forma correta de utilizar os produtos e ferramentas;


  • use a internet a seu favor, crie contas nas redes sociais e dê preferência àquelas redes onde seus clientes estejam mais ativos, lembre-se de separar conteúdo pessoal do profissional;


  • faça do Google o seu maior vendedor, poucas empresas conhecem o poder dessa ferramente, crie o Google Meu Negócio, mantenha suas informações atualizadas, essas informações serão exibidas no Google Maps, seu cliente o encontrará com maior facilidade;





Esse conteúdo foi útil para você? Deixe seu comentário, compartilhe com seus amigos e redes sociais!


577 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Que tal falar com um especialista?

Obrigado pelo envio!